Noticias   
     ::  O que a ACS oferece?
     ::  Histórico
     ::  Diretoria
     ::  Atualize-se
     ::  Notícias
     ::  Fale Conosco
     ::  Fotos
     ::  Pesquisar Associado
     ::  Links
     ::  Videos
     ::  Tornar-se Sócio
     ::  Ofícios
     ::  Página Inicial
 

Programa Ronda Policial 30 08 2014


 

 

 

 

Sefaz libera amanhã salários de agosto

27/08/2014
A Secretaria da Fazenda repassa amanhã (quinta-feira) recursos para os órgãos e Poderes pagarem a folha salarial do mês de agosto do funcionalismo estadual. Os servidores recebem os salários na sexta-feira (29) nas agências bancárias.

Comunicação Setorial – Sefaz

 

 
Diminui homicídios nos 15 bairros mais violentos

27/08/2014
Ocorreram 29 assassinatos entre julho e agosto de 2013, em 2014 o número caiu para 19, redução de 34% nos setores da região mais violenta

As ações estaduais promovidas pelo Grupo de Apoio à Segurança e focadas na redução dos casos de homicídio nos 15 bairros mais violentos de Goiânia contribuíram para a queda no número de ocorrências. É o que aponta o comparativo feito nos primeiros 24 dias de agosto de 2013, com o mesmo período de 2014, no qual a redução de homicídios nos 15 bairros que tinham maior registro desse tipo de crime na Capital foi de 30%. A redução foi verificada após o início da força-tarefa realizada pelo governo de Goiás.

Outro dado da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) mostra que, enquanto ocorreram 29 assassinatos entre julho e agosto de 2013, em 2014 o número caiu para 19, redução de 34% nos setores da região mais violenta, chamada de mancha criminal – formada pelos bairros Jardim Novo Mundo, Setor Pedro Ludovico, Jardim Guanabara, Setor Central, Real Conquista, Setor Norte Ferroviário, Jardim Primavera, Parque Amazônia, Vila Finsocial, Vera Cruz, Bairro São Francisco, Eldorado Oeste, Estrela D’Alva, Recanto das Minas Gerais e Jardim Curitiba.

Em comparação ao mês anterior, junho de 2014, também houve queda. Em junho deste ano foram registrados, nestes 15 bairros, 16 assassinatos, contra os 12 ocorridos em julho. Outro dado importante da SSP é quanto a não ocorrência de homicídios em setores onde o número de casos chamava a atenção. Dos 15 bairros relacionados, oito não registraram nenhuma morte em julho de 2014.

“A Secretaria Estadual de Segurança Pública considera estes resultados muito bons. Eles demonstram que a determinação de ações focadas por outras esferas de governo, sob a coordenação do vice-governador, José Eliton, pode contribuir para a obtenção de resultados cada vez melhores para a segurança pública”, analisou o secretário Joaquim Mesquita. Além das ações conjuntas do grupo de apoio, recentemente a SSP disponibilizou 882 novos soldados formados pela Academia de Polícia Militar para atuar na Região Metropolitana.

Reforço

Já chegam a 19 os órgãos do governo mobilizados em ações com foco na redução da criminalidade. Chamado de Grupo de Apoio à Segurança Pública, ele se reúne semanalmente para apresentação de relatórios sobre as ações desenvolvidas ao longo da semana e articular novas ações conjuntas. Na última reunião, realizada ontem, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Trabalho (Sectec) e o Detran-GO passaram a integrar a força-tarefa. Coordenador do grupo, o vice-governador tem enfatizado que a solução não é simples, “nem milagrosa”, mas considera que, “com o empenho dos envolvidos, mais resultados positivos virão”.

Além do natural reforço no policiamento e das investigações tarefas das polícias Militar e Civil, as ações e intervenções nos 15 bairros têm sido as mais diversificadas. O trabalho envolve desde a prestação de serviços básicos que dão acesso à cidadania, tais como emissão de documentos e oficinas; realização de exames básicos de saúde, como glicemia e pressão arterial; ou práticas de esportes; indo até orientações sobre as drogas, um dos agravantes da violência urbana.

Entre os protagonistas do trabalho está o Grupo Executivo de Enfrentamento às Drogas (Geed), que promove campanhas dirigidas ao público jovem desses bairros, estimulando uma opção de vida com liberdade e sem drogas. Também fazem parte do Grupo de Apoio à Segurança os seguintes órgãos estaduais: Agecom, Agel, Agetop, CBMGO, Geed, OVG, Polícia Civil, Polícia Militar, Sapejus, Sect, Seduc, SES, Semira, Casa Civil, SSP, Secult e

Metrobus.

O modelo do grupo é inspirado em ações similares adotadas em outros países (EUA e Colômbia, por exemplo) e em Estados brasileiros como Minas Gerais e Rio de Janeiro. Quando assinou o decreto, em 9 de julho, o governador Marconi Perillo responsabilizou o governo federal e a legislação penal pela dificuldade em conseguir reduzir os índices de homicídios.

Saiba Mais
Programação

No próximo sábado, a mobilização acontece na região noroeste. A Secretaria de Cidadania e Trabalho (Sect) montará sua estrutura, juntamente com os demais órgãos, na Faculdade Noroeste, localizada na Avenida Mangalô, 2385, Setor Morada do Sol. Cerca de 2.500 alunos de três escolas da região foram mobilizados para participar.

Fonte: Diário da manhâ

 

 
DR JOSE MARIA SOBREIRO FALA SOBRE AÇÕES IMPETRADA PELA ACS

 

 

Sexto Mandamento: Justiça arquiva ação

25/08/2014
Decisão foi tomada após oficiais pedirem a intervenção da Corregedoria-Geral, que apontou ausência de relatório final da investigação da Polícia Federal. Prisões ilegais, aposentadoria compulsória e surtos de depressão profunda são os resultados

O juiz da 1ª Vara Criminal de Goiânia, Jesseir Coelho de Alcântara, determinou o arquivamento da Operação Sexto Mandamento, realizada pela Polícia Federal em fevereiro de 2011, e que visava “desarticular uma organização criminosa que realizava extermínios”. Foram cumpridos 19 mandados de prisão preventiva e oito de prisão temporária, além de busca e apreensão de farto material.

As investigações da Polícia Federal diziam que um grupo dentro da Polícia Militar de Goiás praticava homicídios “com a simulação de que os crimes capitais foram praticados em confrontos com as vítimas”. O inquérito presidido pelo delegado da Polícia Federal Marcelo Moreira de Queiroz indicou a existência de “grupos de extermínio” e de uma organização “com alto poder de influência e de intimidação composta por policiais militares de Goiás, das mais diversas patentes”.

Um dos presos era o coronel Carlos César Macário, que à época era subcomandante geral da Polícia Militar e que teve sua carreira fulminada após o episódio. Ele e outros militares foram levados para o Presídio Federal de Campo Grande, onde permaneceram detidos até liberação pelo Tribunal de Justiça.
O advogado Higor Pierry, que representa a maior parte dos militares denunciados na operação acompanhou depoimento ocorrido na última semana e requereu uma diligência da Corregedoria-Geral da Justiça sobre os autos. Descobriu-se que o sequer o relatório final da Polícia Federal havia sido juntado e que conclusões com base nos levantamentos da PF seriam colocadas em dúvida tendo por base perícias realizadas em provas que mostrou serem nulas.

Após instado pela Corregedoria o juiz requereu parecer do Ministério Público sobre o andamento da ação e a resposta foi no sentido de que deveria ser procedido o arquivamento desses autos.
O promotor de Justiça Paulo Pereira dos Santos observou em seu parecer que os autos do “inquérito mãe” da Operação Sexto Mandamento tiveram tudo o que seja necessário para apurar cada caso concreto apurado durante a investigação. Com base nisso os autos devem ser arquivados.

Para preparar os passos seguintes da defesa o advogado Higor Pierry deu um xeque-mate na acusação requerendo uma Certidão Narrativa da 1ª Vara Criminal que deverá constar informações fundamentais sobre o caso. Detalhes como o nome do delegado que conduziu as investigações, o nome do juiz responsável pelo deferimento das representações de quebra de sigilo telefônicos e das outras medidas cautelares, bem como sua respectiva vara criminal de titularidade ou substituição. Além do tenente-coronel Ricardo Rocha as representações foram feitas pelo tenente-coronel Alessandri da Rocha Almeida e pelo coronel Carlos César Macário.

Advogado experiente, Higor Pierry sabe que um erro descoberto no curso dessa investigação colocará por terra tudo o que seus clientes foram acusados. Um exemplo é comparar qual magistrado autorizou escutas telefônicas e quebra de sigilos bancários com qual foi que determinou as prisões. Em decisão do Supremo Tribunal Federal ficou patente o entendimento de que “prova colhida por juiz incompetente é nula” e não se fala mais no assunto. Um detalhe fará toda a diferença: por qual razão os autos foram transferidos da 8ª Vara Criminal para a 1ª Vara, da mesma Comarca.

Contra-ataque

Em abril do ano passado, alguns oficiais, representados também pelo advogado Higor Pierry da Silva, promoveram uma série de representações em órgãos diversos já prevendo que o andamento do inquérito estava em ritmo lento por não poder ser concluído de forma a incriminá-los, e que de nenhuma dessas instituições seria de se esperar que houvesse o reconhecimento de que o procedimento estava equivocado. O Ministério Público foi acionado quanto à conduta dos promotores envolvidos com a operação e as interceptações telefônicas e acusações feitas “até hoje sem qualquer comprovação”. Com respeito ao Judiciário os militares pediram a apuração da conduta dos magistrados que oficiaram nas investigações e do que foi juntado nos autos.

“Existem fatos muito graves sem qualquer finalização até hoje com respeito a essa investigação. O que se percebe é que algumas coisas estão muito mal explicadas e uma demonstração inconteste disso é que até hoje, decorridos mais de dois anos da deflagração da Operação Sexto Mandamento, não houve sequer indiciamento dos envolvidos, não houve um relatório conclusivo das investigações e não se chegou a qualquer possibilidade de denúncia criminal a ser aceita pelo Poder Judiciário”, comentou o advogado à época das representações.

Depressão

Um dos casos mais emblemáticos da Operação Sexto Mandamento ocorreu com o subtenente Hamilton Costa Neves. Após ser preso e levado junto com os outros para o presídio de Campo Grande ele nunca mais foi a mesma pessoa. Hoje sofre de depressão profunda, com tendências suicidas, tomando remédios controlados e encostado de suas funções operacionais na Polícia Militar.

Em depoimento prestado em abril do ano passado Hamilton descreveu o calvário que passou após sua prisão, chorando compulsivamente ao relembrar o caso. Disse que diversas vezes pensou em suicidar-se imaginando ser uma forma de se libertar. “Fui preso às 4h30 da madrugada e levado com os outros para um presídio em outra cidade.” Em Campo Grande todos foram submetidos ao Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), estágio de tratamento carcerário considerado inumano e que destrói indivíduos que a ele são submetidos.

“Tiraram tudo de mim, tudo. Minha liberdade, minha sanidade mental e minha vontade de viver.” Hamilton lembra que muitas vezes tem visões noturnas e acorda assustado gritando e é socorrido pela esposa. “Vivo transtornado, tomando remédio para controlar ansiedade, surto de pânico e para poder dormir. Minha vida virou do avesso e o que gostaria somente era de ter minha vida normal de volta”, lamenta.

Inocentados

Dois outros presos emblemáticos já haviam sido excluídos da ação decorrente da Operação Sexto Mandamento. O ex-secretário da Fazenda Jorcelino Braga e o ex-secretário da Segurança Pública Ernesto Roller, que também haviam sido incluídos na investigação. O delegado que presidiu o inquérito chegou a pedir a prisão dos dois, considerados peixes graúdos do governo anterior, mas o juiz negou a ordem de prisão.

Mesmo assim o delegado emitiu de próprio punho a ordem para que eles fossem conduzidos coercitivamente à sede da Polícia Federal para prestar depoimentos. Eles foram investigados em função da lista de promoções para oficiais da Polícia Militar no final de 2010.
O advogado Higor Pierry disse que os militares estudam a possibilidade de ingressar com ação de danos morais contra o Estado por causa das violências das prisões e afastamentos.

A Operação Sexto Mandamento é considerada a precursora da Operação Monte Carlo, também realizada pela Polícia Federal e as duas nasceram de outra investigação nos mesmos moldes, intitulada Operação Vega. As duas investigações produziram efeitos mais políticos que jurídicos propriamente ditos e juristas sustentam que as duas têm grandes possibilidades de serem anuladas em virtude da forma como foram conduzidas. Julgados do STF sustentam o irreversível processo de nulidade das provas colhidas porque não podem ser usadas em juízo.

Fonte: Diário da Manhã

 

 

Programa Ronda Policial 23 08 2014


 

 
Sem soluções “mirabolantes : Em reunião no comitê central, policiais e bombeiros afirmam que Marconi foi quem mais investiu em segurança



22/08/2014
A constante valorização do efetivo policial, a atenção dada à categoria e os investimentos feitos em Segurança Pública em seus governos renderam ao governador Marconi Perillo, na tarde de ontem, o reconhecimento público de gestor que mais fez pelo setor, além de inúmeras declarações de apoio à sua reeleição. No comitê central, em Goiânia, Marconi participou de reunião com representantes da Polícia Militar do Estado de Goiás e do Corpo de Bombeiros, cujos líderes, em discurso, revezaram-se nos cumprimentos a ele e em comparações com o que foi feito agora com governos de partidos adversários. 

Marconi, por sua vez, agradeceu o apoio dos militares e o respaldo de todos às propostas apresentadas, ao longo da campanha, para a Segurança Pública. Propostas que passam, inclusive, pelo aumento do efetivo policial. “O meu compromisso é de que, se reeleito, vamos sim fazer concurso no ano que vem para a Polícia Militar, para o Corpo de Bombeiros e para a Polícia Civil”, afirmou. “Tudo com muito planejamento, sem soluções ‘mágicas’ ou ‘mirabolantes’”, acrescentou Marconi, mandando, indiretamente, recado aos adversários.

Ainda sobre aumento do efetivo, Marconi informou que quanto aos remanescentes do último concurso público realizado pelo governo do Estado, já foi autorizado por ele a prorrogação do prazo para convocação. 
E voltou, também em discurso, a defender o efetivo policial dos ataques feitos por adversários de oposição, que, de acordo com ele, querem jogar a sociedade contra estes trabalhadores. “A polícia goiana é merecedora de gratidão pelo trabalho exemplar realizado ao longo dos tempos. Temos aqui profissionais sérios, competentes e profissionais”, disse ele. 

Ao repudiar o que chamou de “ação politiqueira dos opositores”, que, conforme ele, tentam passar para a sociedade a imagem de que as polícias não cumprem seu trabalho, o governador pediu que o público ali presente divulgasse as ações do efetivo policial contra a criminalidade. “É importante que vocês falem do trabalho destes grandes profissionais e da forma como o governo tem valorizado a categoria. Propaguem isso”, conclamou.

Ainda de acordo com o governador, presidentes e dirigentes de associações e entidades de classe vinculadas às polícias em Goiás encaminharam, recentemente, lista de demandas e sugestões a Marconi. “Tudo o que for possível, nós vamos incluir no plano de governo. Contem sempre com a minha sensibilidade como governante”, afirmou.

Apoio federal é imprescindível

No encontro com policiais militares e integrantes do Corpo de Bombeiros, o governador associou grande parte dos crimes (80%, de acordo com ele) cometidos por bandidos em Goiás, ao tráfico de armas e drogas que ocorre livremente nas fronteiras com países vizinhos, como Venezuela, Bolívia e Colômbia, entre outros. “É preciso que o governo federal faça o que estamos fazendo aqui (em Goiás), criando o Comando de Operações de Divisas (COD) e apreendendo drogas e armas nas entradas do Estado”, pontuou.

Ainda sobre a atuação do COD, Marconi parabenizou os agentes pela apreensão de 1.500 quilos de maconha na manhã de ontem. “Isto comprova a eficiência no combate ao tráfico de drogas em Goiás. Desde a criação do COD, mais de 20 toneladas de drogas já foram apreendidas”, disse.
O governador ainda reforçou que, em sua atual gestão, foram investidos em Segurança Pública quase R$ 2 bilhões, sobretudo em serviços de inteligência e em viaturas novas. “Por outro lado, o governo federal não aplica neste setor praticamente nada. Os Estados estão arcando com tudo praticamente sozinhos”, disse. Ele também criticou a legislação penal, classificada por ele como “frágil”. “A Justiça é obrigada a soltar os bandidos que a polícia prende, essa é a verdade”, concluiu. “A legislação atual permite os recursos, os agravos, as fianças. Assim o bandido mata, rouba e depois é libertado”, afirmou.

Apoio

Representantes de associações ligadas à Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros agradeceram ao governador pelas melhorias proporcionadas pela sua gestão e reafirmaram apoio à reeleição de Marconi. Para o presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar/Bombeiros Militar do Estado de Goiás, sargento Gilberto Cândido de Lima, esse é “um momento muito feliz para toda a categoria”.

“Deixo aqui meu testemunho, por saber o que eram essas corporações, e o que são hoje. Já vivi, em governos de outros partidos, muitas situações difíceis, como muitos de vocês. Jamais queremos voltar a passar pelo que já passamos”, afirmou. E agradeceu ao governador por todos os investimentos em Segurança Pública. “Quero agradecer aqui por tudo o que o senhor tem feito, em nome de todos os policiais”, reforçou o sargento Gilberto Cândido, conclamando a todos, em seguida, a trabalhar pela vitória de Marconi já no primeiro turno das eleições. 

Também participaram do encontro com o governador representantes das associações dos Policiais e Bombeiros Militares de Goiás, Militares Inativos de Goiás, de Defesa dos Cabos e Soldados da Polícia Militar, e a dos Oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás.

Saiba mais – Propostas e realizações

O candidato a reeleição, Marconi Perillo, anunciou a renovação da frota de veículos para as polícias até o próximo mês e informou que está investindo em equipamentos para as corporações.
Ele disse ainda que mais de seis mil policiais e bombeiros foram incorporados neste mandato. Apenas neste ano, são 3,2 mil. Foram realizadas mais de dez mil promoções na PM e criado o programa de reestruturação das carreiras nas polícias.

O governador concedeu, neste ano, aumento salarial para todos os policiais civis, militares e o efetivo do Corpo de Bombeiros Militar em 18,50% em dezembro; 12,33% em dezembro de 2015; 12,33% em dezembro de 2016 e 12,33% em dezembro de 2017.
Marconi também propõe a criação do Centro Integrado de Comando e Controle, com o objetivo de integrar todas as polícias, investimento em câmeras de monitoramento e em inteligência, melhoria das penitenciárias, com a construção de quatro presídios com capacidade para 300 vagas cada.

O governo do Estado tem agido com seriedade e firmeza no reforço da segurança pública. Prova disso é a força-tarefa criada para apuração da série de crimes contra mulheres na Capital e o constante investimento em recursos humanos, materiais e tecnológicos das polícias.
Até o final do ano, cerca de R$ 140 milhões deverão ser aplicados em infraestrutura e equipamentos para as forças que compõem a pasta. Do total de recursos disponíveis, R$ 107 milhões serão investidos em obras e equipamentos. Os recursos terão destinações diversas. Entre as obras, estão construções de estruturas da Polícia Científica e Centrais de Comando e Controle no Entorno do Distrito Federal, além de novas bases para a Polícia Militar. Também serão adquiridos equipamentos para o setor de Inteligência da SSPGO e para a Polícia Técnico-Científica, 60 motocicletas para a Polícia Militar, 500 câmeras de videomonitoramento, entre outros.

Além dos R$ 107 milhões, outros R$ 33 milhões estão sendo investidos no Programa Goiás Biométrico. Um total de R$ 22 milhões foram aplicados em treinamento e equipamentos, inclusive na aquisição de um drone. O Corpo de Bombeiros ganhou 12 novas unidades desde 2011. Anualmente, o governo investe cerca de R$ 1,6 bilhão na Segurança Pública.

Movimentação no oeste goiano

No segundo dia de visitas da caravana Marconi45 à região oeste, a comitiva liderada pelo vice-governador José Eliton esteve ontem em Caiapônia, Piranhas de Goiás, Bom Jardim de Goiás, Baliza e Aragarças. Na companhia de centenas de pessoas, José Eliton passou pelas ruas das cidades levando as propostas do governador Marconi Perillo.

A primeira-dama de Caiapônia, Bianca Cruvinel, representando o prefeito Argerimo Rodrigues (PMDB), destacou que o trabalho feito na cidade foi fundamental para o desenvolvimento. “O Marconi não olha cores partidárias, ele pensa é no povo. Declaramos nosso apoio ao governador. Queremos que Goiás continue avançando”. José Eliton disse que esse é o papel esperado de um líder político. “Agradeço a primeira-dama por ressaltar essa parceria. Nós respeitamos o nosso povo e trabalhamos pelo bem comum.”

José Eliton acrescentou que pode chegar em todas as cidades de cabeça erguida. “Sei que posso pedir votos ao nosso governador, pois ele trabalhou duro e levou obras e benefícios a todos. Temos orgulho em poder afirmar isso”, disse o vice. Marina Aparecida Gonçalves estava na praça de Caiapônia acompanhando as palavras de José Eliton e disse estar feliz em ouvir tantas verdades. “É impossível não concordar com tudo que o vice-governador falou. Marconi fez muito por nossa cidade. Não tenho vontade de mudar daqui, pois me sinto feliz nesse lugar”, contou a dona de casa.

André Naves, prefeito de Piranhas, lembrou das obras que foram feitas na cidade. “Foram iniciadas as obras de 40 casas, de um total de 110. Também foram autorizados a entrega de 300 cheques-moradia, além da liberação de R$ 2,5 milhões para pavimentação asfáltica. Temos muito o que comemorar com esse governo”, disse.
O candidato a deputado estadual Virmondes Cruvinel aproveitou a oportunidade para falar que o vice-governador é um grande homem, que está rodando o Estado a favor da reeleição de Marconi Perillo. “José Eliton representa bem o nome do nosso governador. Um homem preparado que faz questão de ir a todos os cantos mostrando o que foi feito nesse último mandato.”

Candidata à reeleição, a deputada federal Flávia Morais lembrou que 2014 é muito importante para toda a sociedade. Conforme ela, esse momento é muito especial para cada um. “Dia 5 de outubro iremos exercer o direito de escolher nossos governantes. Por isso peço: participem da política. Só assim poderão fazer a escolha certa. Observe o que cada político fez pelo povo, como o nosso governador. Vamos valorizar aqueles que somam”, defendeu. 

Homem abençoado

“Homem muito abençoado. Peço que Deus continue guiando os passos de Marconi Perillo e iluminando sua campanha.” Foi com essas palavras que o prefeito de Bom Jardim de Goiás, Cleudes Baré, iniciou seu discurso na praça principal da cidade. Ele destacou a presença do pai do governador, senhor Marconi Perillo que acompanhou toda a carreata. “O Marconi pai é um homem humilde, que sempre trabalhou e criou o nosso governador. Sem dúvidas, seu filho é um presente de Deus para a sociedade”, disse.

Antes de sair de Bom Jardim, José Eliton foi surpreendido por um abraço vindo da professora aposentada Deuzilha Rançoso, de 67 anos. “Falei para ele segurar nas mãos de Deus e continuar nessa bela caminhada. Sempre fui eleitora do Marconi. Fico feliz em receber essa comitiva em minha cidade”, contou ela, revelando a conversa que teve com o vice-governador.
A carreata foi finalizada no fim da tarde no município de Aragarças. Uma grande multidão acompanhou a comitiva 45. “Saio daqui energizado. Sem dúvidas, foi um grande dia de festa e de muita produtividade. Se tivermos esse apoio na urnas, com certeza iremos reeleger Marconi Perillo”, disse José Eliton.

Fonte: Diário da manhâ

 

 

Corpo de Bombeiros Militar e Samu estudam parceria na região metropolitana de Goiânia

Publicado20/08/2014- Atualizado em 21/08/2014
O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) dá início nesta quarta-feira, dia 20, a uma nova etapa da parceria da Corporação com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na região metropolitana. Uma reunião entre o Comandante Geral do CBMGO, Coronel Carlos Helbingen Júnior,  e o diretor geral do Samu metropolitano, Carlos Henrique Duarte Bahia, discutiu os termos da parceria. Em princípio, as viaturas do Samu vão passar a usar os quartéis do Corpo de Bombeiros Militar como ponto de apoio, uma forma de descentralizar o atendimento à população. A partir desta quarta-feira, uma Unidade de Suporte Avançado (USA) do Samu ficará de plantão no 8º Batalhão Bombeiro Militar (8º BBM), do Parque Amazônia.  O Samu e o CBMGO já possuem um convênio de cooperação técnica que tem o objetivo de otimizar o resgate aéreo em Goiânia e na região metropolitana.

Site: CBM GO

 

 

 

 

   
 
Site desenvolvido por:
Rua 77 nº 145 CEP 74.055-090 Setor Central Goiânia - GO | Fone (62) 3212 5038 E-Mail - acs@acspmbmgo.com.br