Noticias   
     ::  O que a ACS oferece?
     ::  Histórico
     ::  Diretoria
     ::  Atualize-se
     ::  Notícias
     ::  Fale Conosco
     ::  Fotos
     ::  Pesquisar Associado
     ::  Links
     ::  Videos
     ::  Tornar-se Sócio
     ::  Ofícios
     ::  Página Inicial
 

Programa Ronda Policial 13 12 2014


 

 

 

 

Programa Ronda Policial 29 11 2014


 

 

Taxa de homicídios aumenta após o Estatuto do Desarmamento

26/11/2014

No ano de 2005 a população brasileira votou contra a proibição do comércio de armas de fogo e munição no País. Cerca de 63,94% dos eleitores se declararam contrários à ideia de não ter acesso às armas de fogo. O resultado do referendo não mexeu com a legislação e com as imposições feitas pelo Estatuto do Desarmamento – Lei nº 10.826 de 23 de dezembro de 2003 – que autoriza a posse e o uso de armas de fogo aos militares, polícias, empresas de segurança, desportistas, caçadores e pessoas que possuam autorização fornecida pela Polícia Federal (PF).

Conforme dados fornecidos pelo Ministério da Justiça à equipe de reportagem do Diário da Manhã, o Estado de Goiás atualmente encontra-se na 24ª posição, dentre os 27 Estados federativos, no número relacionado a entregas de armas de fogo a cada 100 mil habitantes. Goiás possui a taxa de 1,98, sendo que no período compreendido entre 1º de janeiro deste ano até o dia 19 de outubro foram entregues 119 armas de fogo.

As estatísticas ainda comprovam que no ano passado 31.264 armas foram entregues pela população do País. Já neste ano, de janeiro até setembro, apenas 13.855 armas foram recolhidas pelos órgãos competentes.
Apreensões

O relatório dos últimos anos de apreensões de arma de fogo no Estado de Goiás, fornecido pela Secretaria de Segurança Pública, demonstra que as apreensões têm aumentado. No ano de 2012 foram apreendidas 2.625, em 2013 cerca de 3.239. Já neste ano, 2.895 até o último de mês de setembro. Os dados comprovam que, conforme a média, podem superar o ano anterior

Saiba Mais

Resultado do Referendo do Desarmamento 2005

Não 59.109.265 63,94%

Sim 33.333.045 36,06%

Brancos 1.329.207 1,09%

Nulos 1.604.824 1,68%

Abstenção 26.666.791 21,85%

Votos válidos 93.771.517 96,92%

Votos apurados 95.375.824 100%

Armas apreendidas

2012 – 2.625

2013 – 3.239

2014* – 2.895

*até setembro de 2014

Fonte: Secretaria da Segurança Pública 

 

 

Nota de falecimento

É com imenso pesar que informamos o falecimento do Subtenente MARCONDES VENCESLAU RODRIGUES, auxiliar do 14º CRPM, em Jataí-GO. Ele faleceu em casa na manhã de hoje (21). 
O horário para o sepultamento e local do velório ainda serão definidos.
 Maiores informações: 15º BPM (64) 3631-3404

  Fonte: Subtenente Luziano Augusto Cabral (64) 9676-6884 / 9932-1329 – Aux. SAD/COPOM
 

 

Câncer de próstata: Prevenção é o melhor remédio

21/11/2014

Apesar do preconceito, exame de toque é essencial para prevenir o câncer de próstata

Você está trabalhando normalmente, cuida da saúde com consultas médicas frequentemente, faz check-up todos os anos, mas de repente, descobre que está na fase inicial de uma doença perigosa e que afeta anualmente milhares de homens, o câncer de próstata. Pode parecer cena de algum filme ou novela, mas é mais comum do que se possa imaginar, e a enfermidade atinge pessoas de todas as classes sociais, como o comerciante Elvécio Batista Osório, de 63 anos.

Ele é um exemplo da situação citada no início da reportagem: fazia exames constantes e, em 2013, descobriu uma alteração no antígeno prostático específico (PSA), um dos exames que identifica a doença, confirmada no exame de toque retal. O urologista pediu uma biopsia e foi constatadoa início de câncer de próstata.
O comerciante realizou a cirurgia no dia 28 de março deste ano e atualmente está muito bem. “É um procedimento um pouco difícil, não é de um dia para outro que você se sente normal. Fiquei três meses em casa sem fazer esforço físico. Voltei para revisão”, diz, explicando que foi uma recuperação rápida e que quatro meses após o procedimento voltou a trabalhar.

Elvécio afirma que não teve medo de realizar a cirurgia, mas confiança no médico. Para ele, ainda há muito preconceito contra o exame de toque, mas é necessário, principalmente para pessoas depois dos 60 anos. “Tenho colegas que eu tenho conversado com eles, sentem medo, vergonha. O pior é ficar com a doença, pode levar à morte. Se você tratar no início não tem nada. Se deixar passar da hora é pior, pode levar até a morte”, alerta.

Cirurgia

O sargento da Polícia Militar Mauro Henrique Alves, de 54 anos, descobriu que era portador da doença há quatro anos. Ele explica que sentia vontade de urinar, mas não conseguia e após procurar o médico e passar por todos os exames, descobriu que estava com câncer de próstata.
O urologista recomendou que ele fizesse a cirurgia a laser ou tirasse a próstata toda. Ele escolheu a segunda opção e diz que não teve problema nenhum após o procedimento, inclusive sequela, e que está levando a vida normal. “Tomo minha cervejinha, jogo bola, faço educação física”, diz.
Mauro explica que quando descobriu o câncer teve começo de depressão, mas depois melhorou, principalmente com o apoio da família e dos filhos – incentivo que ele considera muito importante para quem está passando ou passou pela mesma situação. “Ainda faço é agradecer a Deus, porque descobri a tempo”, diz.

Câncer de próstata

Você sabe o que é essa doença? Segundo o urologista Rodrigo Yano de Melo, é a forma mais comum de neoplasia não cutânea (pele) em homens e a segunda maior causa de mortalidade por câncer masculino. Ele afirma que são 69 mil casos novos da doença, por ano, e que a cada 20 minutos, morre um homem com a doença no Brasil. Também informa que de cada seis homens, um tem ou desenvolverá a doença.
O urologista Teobaldo Silva Costa explica que, no início, o câncer pode ser curado, e “que quando chega a dar sintomas, já está em fase avançada”. Segundo Teobaldo, se a doença não for tratada, a pessoa pode morrer. “É um câncer lento. Acomete principalmente os ossos e causa muita dor na fase final.”

Rodrigo Yano cita alguns sintomas do câncer, quando o mesmo já está em estágio mais avançado, como sinais urinários obstrutivos e irritativos – dificuldades para urinar, incontinência urinária, ardor para urinar, levantar muitas vezes à noite para urinar, sensação que não consegue esvaziar totalmente a bexiga. “Na fase avançada a doença pode levar a piora ou perda da função renal, dor óssea intensa devido a metástases, disfunção erétil (impotência sexual); sangramento na urina. Assim , possui evolução gradual e progressiva.”

Preconceito

O urologista Teobaldo diz que o exame de próstata é cercado de muitos preconceitos. Segundo ele, os homens acham que isso irá interferir na sua masculinidade, o que de acordo com o médico é inverídico. Ele esclarece que o exame é rápido não é tão desconfortável e não é doloroso.
Já para Rodrigo Yano, o preconceito ocorre principalmente na população não informada quanto aos riscos da doença. Ele explica que atualmente, através dos meios de comunicação, a população masculina apresenta-se bastante esclarecida e a procura espontânea ao urologista aumentou consideravelmente. “É importante ressaltar que a realização do toque retal é indispensável para aumentar a possibilidade de diagnóstico precoce, já que até 20% dos homens com câncer de próstata possuem níveis de PSA normais e o diagnóstico nestes casos somente é suspeitado pelo toque retal.”, diz.

Prevenção

Ele afirma que a prevenção tem sido tentada com o uso de licopenos, selênio ou vitamina, e até o momento nenhum deles demonstrou ser eficaz na prevenção. “Desta forma, embora haja grande interesse e diversas pesquisas sobre a prevenção, não existem métodos efetivos que possam ser indicados de forma universal. Como a obesidade foi recentemente demonstrada como fator de risco, é provável que a manutenção de um estilo de vida saudável, evitando-se o sedentarismo e mantendo-se com a dieta e o peso adequados, possa diminuir o risco da doença, além dos outros benefícios já conhecidos destes hábitos.”

Quando fazer o exame?

Uma das dúvidas mais comuns é sobre a idade certa de fazer o exame que identifica o câncer de próstata. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Urologia – Regional Goiás, Vagner Ruiz, a idade correta é acima de 50 anos para a população em geral e 45, para os grupos de risco, que são negros e quem tem parentes na família que tiveram câncer. "Negros, geneticamente, tem uma predisposição maior, uma incidência maior", diz.
Para a detecção da doença são realizados o exame PSA e o de toque retal. O presidente explica que os dois são importantes, e que não tem um melhor, pois eles não são concorrentes. Segundo Vagner, "o exame não previne a doença. Ele previne a morte pela doença".

O profissional explica que o hábito de fazer o exame diminui 21% a mortalidade, e que as chances de cura gira em torno de 90% se o diagnóstico for precoce. Ele informa que o número de casos da doença tem crescido e o número de mortes diminuiu.

saiba mais
Câncer de próstata x doenças venéreas

Algumas pessoas acreditam que o câncer de próstata pode ter algo relacionado a doenças venéreas, como sífilis, gonorreia, herpes e outras. Porém os especialistas desmistificam essa teoria. Eles afirmam que desenvolver ou não a neoplasia não está relacionado a essas doenças ou aos homens terem, ou não, variz hemorroidária.
Próstata
A próstata é uma glândula que faz parte do sistema genital masculino e produz parte do sêmen. PSA é uma substância produzida na próstata e é expelida junto com o sêmen. Células cancerosas aumentam a produção de PSA, mas tumor benigno e infecção da próstata (prostatite) também podem elevar a contagem desta substância, porém somente o câncer causa o endurecimento do tecido da glândula. Por isso o exame de toque não pode ser substituído.
Fonte: Agecom

Novembro Azul

Quem não se lembra do Outubro Rosa, campanha para incentivar o exame e prevenção do câncer de mama?  Agora, está sendo realizado o Novembro Azul com intuito de alertar os homens sobre a importância da prevenção e diagnóstico do câncer de próstata.
Luciana Santana, coordenadora da área técnica da Saúde do Homem da Secretaria de Saúde do Estado de Goiás, afirma que a secretaria tem realizado ações contínuas, não só em relação a prevenção e ao diagnóstico precoce do câncer de próstata, mas em relação à atenção integral da saúde do homem.

Fonte: Diário da Manhã

 

 



Major Araújo mente na TV e será processado pela ACS

Ação judicial que ele alega ter prescrito está prestes a ser julgada pela justiça

A história se repete. Desgastado e sem conseguir aglutinar apoio junto aos militares ativos e inativos, mais uma vez o Major Araújo recorre ao jogo rasteiro da mentira e da calúnia para tentar enganar os valorosos integrantes da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Goiás. Em seu programa de TV do dia 13/11 o Major falastrão se referiu a uma ação judicial que, segundo ele, os associados da Associação dos Cabos e Soldados teriam direito de receber, mas que supostamente por incompetência e negligência teriam ficado no prejuízo.

O Major Araújo afirmou em seu programa que a referida ação de 1998 havia prescrito. O militar reformado e também deputado estadual afirmou que o presidente da ACS, sargento Gilberto Cândido de Lima, e seu assessor jurídico, advogado José Maria Sobreiro, “agiram de má fé”, que ambos “produziram um teatro” e que os associados da ACS “caíram num grande golpe” porque segundo o Major Araújo o advogado da ACS perdeu prazos e a dita ação teria sido julgada improcedente.

Araújo acrescentou que os “associados da ACS ganharam, mas não levaram”, uma vez que segundo ele disse em seu programa o valor superior a R$ 400.000.000,00 (Quatrocentos Milhões de Reais) nunca será pago aos beneficiados porque a ação já citada teria sido julgada improcedente. O Major acrescenta que a ACS e sua assessoria jurídica “abandonaram a ação, desistiram da ação”.

Já no final de sua explanação sobre o assunto o Major Araújo diz claramente que ele sabe que o presidente da ACS e o assessor jurídico da entidade teriam recebido R$ 10.000.000,00 (Dez Milhões de Reais) para perder o prazo e a ação prescrever. “Tem rolo, alguém levou vantagem” diz o Major em seu programa de TV. E num gesto de raiva e violência ele ínsita a tropa a destruir as sedes da Associação dos Cabos e Soldados e da Caixa Beneficente da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Goiás: “Não tem eleição lá. Pega um coquetel molotov e mete fogo naquele troço lá. Vamos lá que eu vou ensinar como é que resolve esse problema. Mete fogo lá que a imprensa vem. Então, gente, vamos ter sangue no olho”, finaliza o Major Araújo.

O presidente da ACS, sargento Gilberto Cândido de Lima, está profundamente chateado e revoltado com as mentiras e calúnias proferidas pelo Major Araújo e, em respeito aos seus associados e a todos os militares ativos e inativos PM/BM decidiu se manifestar, juntamente com seu assessor jurídico, advogado José Maria Sobreiro, sobre as inverdades ditas pelo Major Araújo em seu programa de TV.

Os fatos

A ação de cobrança proposta pela Associação dos Cabos e Soldados em desfavor do Estado de Goiás, visa o recebimento de correção monetária de diferença de soldo, que era pago abaixo do salário mínimo, no período de abril de 1990 a março de 1993. A ação em questão foi impetrada no dia 12 de março de 1995, pelos advogados Vicente Peixoto Alencar e João Rodrigues. Em 19 de maio de 1998 o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás determinou o pagamento das correções. Em dezembro de 2000, portanto, após pouco mais de 02 anos do trânsito em julgado, foi proposta a Execução da Sentença, sendo apresentado, para tanto, apenas parte dos cálculos do débito, já que os cálculos remanescentes dependiam de documentos que estavam na pose do Comandante Geral da PM daquela ocasião.

Já em março de 2001 o então juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual de Goiânia, José de Assis Sebastião Neto, proferiu despacho determinando a citação do Estado para embargar a execução, em outras palavras mandou o governo do Estado contestar a ação. Na avaliação do assessor jurídico da ACS, José Sobreiro o despacho do magistrado interrompeu a prescrição da ação de cobrança, conforme o artigo 202, inciso I do Código Civil.

Ainda segundo o assessor jurídico da ACS só em junho de 2009 começou a atuar nos autos ao receber o substabelecimento do advogado João Rodrigues, passando, somente a partir desta data, a ser o advogado responsável pelo andamento do processo (portanto mente o Major Araújo, ao afirmar que esse advogado foi "comprado" para deixar prescrever a ação, ao deixar de executar a sentença dentro do prazo quinquenal, já que somente após quase 12 anos após o trânsito em julgado da sentença é que passou a atuar no feito). Em agosto de 2010 José Sobreiro propôs a Execução de Sentença complementar, após receber os dados financeiros do Estado de Goiás para o complemento dos cálculos dos valores a que os beneficiários tem direito de receber.

Ainda de acordo com José Maria Sobreiro em setembro deste ano a ACS, por meio de sua assessoria jurídica, acionou a justiça mais uma vez demonstrando a ausência da prescrição bem como que fossem retiradas do processo original ações individuais que estavam atrapalhando o andamento da ação coletiva. A juíza da 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual de Goiânia, Suelenita Soares Correia, mandou ouvir o Estado sobre o pedido e o processo está com a magistrada para proferir sua decisão. Certo é que qualquer decisão a ser proferida, será objeto de recurso aos Tribunais Superiores, seja por parte da ACS ou pelo Estado de Goiás, o que é perfeitamente normal e faz parte do sagrado e constitucional direito do devido processo legal e do direito de defesa.

Para finalizar o assessor jurídico da ACS acrescenta que a sentença proferida em 1998 era ilíquida, ou seja, não previa os valores que deveriam ser pagos a cada um dos beneficiários na referida ação de cobrança, que somente foram definidos após a apresentação, por parte do Estado, das folhas de pagamento do período reclamado e providenciado a devida liquidação dos débitos questionados judicialmente. Portanto, acrescenta o advogado da ACS, por mais esse motivo e conforme jurisprudência pacífica do STJ e STF, não há que se falar em prescrição da execução da sentença.

Major Araújo foi irresponsável e mentiu também ao afirmar que os associados da ACS deixaram de receber valores entre 70 mil e 100 mil reais devido a suposta prescrição da ação de cobrança. “Tinha gente sonhando em comprar sua casinha” disse o Major em seu programa de TV. O assessor jurídico da ACS esclarece que os valores individuais dessa ação, mesmo com as devidas correções, não chegam a esse montante. A ação dos valores maiores se refere a ação da isonomia que também foi ganha pela ACS e atualmente se encontra em grau de recurso no Superior Tribunal de Justiça. Os interessados podem consultar essa informação na 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Goiás. Basta acessar o número 200501087952.

Diante dos absurdos praticados pelo Major Araújo em seu programa de TV o assessor jurídico da ACS decidiu processar o militar da reserva remunerada por vários crimes. José Maria Sobreiro vai ingressar com uma representação criminal junto à Procuradoria Geral de Justiça (Ministério Público Estadual) por apologia ao crime, uma vez que Major Araújo instigou a tropa a “tocar fogo nas sedes da ACS e da Caixa Beneficente PM/BM. Ingressará, também, com uma queixa-crime por calúnia, difamação e injúria junto ao Tribunal de Justiça.

O Major será investigado ainda pela Procuradoria Geral do Estado. Ao afirmar que o presidente da ACS e o assessor jurídico receberam para perder prazo da ação de cobrança Major Araújo acabou por sugerir que houve crime de corrupção praticado por agentes públicos. O autor das falsas acusações e mentiras deve ser acionado ainda junto à Comissão de Ética da Assembleia Legislativa, por quebra de decoro parlamentar e junto à Corregedoria da Polícia Militar pelos mesmos fatos. Por fim o assessor jurídico pretende ingressar com ações judiciais de indenização por danos morais e materiais.

Na opinião do presidente da Associação dos Cabos e Soldados os esclarecimentos que ora a entidade faz colocam ponto final sobre a validade da ação de cobrança e desmente as mentiras e insinuações feitas pelo Major Araújo que em vez de ajudar a conseguir benefícios aos militares ativos e inativos tenta a todo custo atrapalhar o árduo e valoroso trabalho dos verdadeiros líderes das entidades militares, como a ACS e a Caixa Beneficente.

Gilberto Cândido também condena a afirmação do Major Araújo de que não existe eleição na Associação dos Cabos e Soldados e na Caixa Beneficente. No dia 20 de janeiro do ano passado o presidente venceu a última eleição com mais do dobro de votos do candidato de Major Araújo, o que mais uma vez demonstra quem de fato representa os cabos e soldados PM/BM. O presidente da ACS lamenta e vai tomar providências judicias pelos crimes praticados pelo militar deputado que não se cansa de mentir, difamar e tentar desqualificar aqueles que lutam todos os dias para conquistar melhorias das condições de trabalho e salariais aos militares goianos.

Gilberto Cândido de Lima
Presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Goiás.

 

 

Marconi faz ampla reforma para economizar R$ 300 milhões por ano

14/11/2014

Governador extingue seis secretarias, corta 16 mil cargos comissionados e temporários e reorganiza máquina

O governador Marconi Perillo (PSDB) se antecipou aos demais governadores eleitos e reeleitos em 2014 e anunciou ontem a primeira reforma administrativa do Estado. Marconi anunciou a extinção de seis secretarias, de até 16 mil cargos comissionados, temporários e funções gratificadas que, conforme impacto calculado pela Secretaria da Fazenda, gerarão uma economia de R$ 300 milhões por ano já em 2015.
O projeto de reforma administrativa foi encaminhado ainda ontem à Assembleia Legislativa e a previsão do líder do Governo, Fábio Sousa (PSDB), é que ela seja votada em até 30 dias. O governador também assinou um decreto estabelecendo o quantitativo de cargos que serão extintos com a reforma, que será publicado na edição de hoje do Diário Oficial do Estado.

A mensagem encaminhada hoje à Assembleia Legislativa prevê a extinção de 1.000 Funções Comissionadas Administrativas (FCs), 9,5 mil contratos temporários e 5.400 cargos comissionados, a reorganização da estrutura funcional da administração direta, além da reestruturação de autarquias, fundações e empresas públicas. Para estes três últimos órgãos será encaminhado um projeto de lei específico à apreciação dos parlamentares, dia 5 de dezembro deste ano.

“Alguns pregam o Estado mínimo, outros pregam o Estado máximo, eu defendo e quero implantar o Estado necessário”, disse Marconi. “Esta reforma é inteiramente responsabilidade minha. Os técnicos me auxiliaram, mas a proposta que estou apresentando aqui hoje fui eu que concebi”, afirmou o governador. Auxiliaram o tucano na tarefa os secretários Leonardo Vilela (Segplan), José Carlos Siqueira (Casa Civil), José Taveira (Sefaz) e Adauto Barbosa (Controladoria-Geral).

Quando concluída, de acordo com o governador, a reforma extinguirá no total 16 mil cargos. As modificações foram feitas por meio de um decreto governamental, que deverá ser publicado no Diário Oficial do Estado e de um projeto de lei entregue ao presidente da Assembleia Legislativa, Hélio de Sousa (DEM), presente à solenidade.
O ajuste prevê também a avaliação e a modernização de secretarias, empresas públicas e agências. “É importante registrar que, além do corte de cargos, haverá redução de gastos com aluguéis, veículos, telefone, internet, papel, energia elétrica, água, café, uma infinidade de economia para os cofres públicos”, enfatizou Marconi.

O governador ressaltou ainda que o Brasil vive uma forte crise, que permeia por todos os entes federativos e que poderá se aprofundar no próximo ano. “Nós estamos nos adiantando, tomando medidas preventivas em relação a eventuais dificuldades financeiras que poderão passar o governo federal e os Estados.”
O governador também abriu a possibilidade de promover outras fusões ou modificações nas estruturas das agências. “Procurei fazer esta reforma com base na minha experiência administrativa”, afirmou Marconi, ao salientar que todas as mudanças foram idealizadas por ele. Nas agências serão extintos num primeiro momento os cargos de vice-presidente e também haverá alterações nas estruturas das fundações e empresas públicas. “Não tenho dúvida de que nós teremos uma máquina mais enxuta, bem mais fácil de ser trabalhada”, disse Marconi, ao justificar que se as mudanças não forem feitas, o governo poderá não ter condições financeiras de arcar com o ônus dos reajustes salariais já concedidos aos servidores públicos.

Antes de anunciar a reforma, o governador, em solenidade realizada no 10º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, assinou contrato de financiamento com o Banco Mizuho do Brasil S/A, no valor de R$ 400 milhões, para investimentos em infraestrutura nos municípios.

Fonte: Diário da Manhã

 

 

Senado: Aprovada MP que reorganiza carreira na Polícia Federal

13/11/2014

Brasília – Sob aplausos de delegados e críticas de outros profissionais, o plenário do Senado aprovou ontem a Medida Provisória 657, que reorganiza a carreira na Polícia Federal (PF). O texto, que segue para sanção presidencial, disciplina as regras para que uma pessoa ocupe o cargo de delegado da PF. Também determina que os cargos de direção na estrutura da Polícia Federal só podem ser ocupados por delegados da carreira.

O texto aprovado prevê que, para o ingresso na carreira de delegado da PF, é preciso ser aprovado em um concurso público de provas e títulos, sendo exigido três anos de atividade jurídica ou policial, comprovado no ato da posse. Essa exigência não existia antes da MP.

Outra inovação na proposta é que o cargo de diretor-geral da PF, nomeado pelo presidente da República, é privativo de delegado da carreira integrante da classe especial, a mais elevada que existe. Esse ponto tem sido alvo de queixas de integrantes do Ministério Público Federal (MPF), que ameaçam ir ao Supremo Tribunal Federal para tentar derrubar a iniciativa.

Durante os debates, os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), relator da MP no Senado, e o líder do PT na Casa, Humberto Costa (PE), asseguraram que, embora a medida reserve o cargo de diretor-geral a delegados, outros cargos de chefia estarão abertos a agentes, delegados, peritos, papiloscopistas, entre outros profissionais. Jucá reconheceu que o texto da MP nesse último ponto ficou impreciso.

“Independentemente disso, nós vamos aprovar a MP da forma como está, mas o governo federal se compromete a neste parágrafo (no caso dos cargos de chefia), no futuro, a ajustar”, afirmou o peemedebista.
A votação foi acompanhada por delegados, que elogiaram a aprovação da MP, e por representantes das outras carreiras, que criticaram as mudanças.

Fonte: O Popular

 

 

Estado: Reforma administrativa pode ser anunciada hoje

13/11/2014

Expectativa é de redução e mudança de atribuições em algumas pastas para o próximo mandato

Com previsão de redução de superintendências e mudanças de atribuições em algumas pastas, a reforma administrativa do Estado deve ser fechada hoje. A expectativa entre governistas ontem era que o governador Marconi Perillo (PSDB) anuncie as mudanças antes de sua viagem de descanso a Europa, prevista para a noite de hoje.
Marconi recebeu ontem do grupo responsável pelo estudo das alterações na estrutura administrativa as propostas de mudanças, mas ainda não havia fechado o projeto a ser enviado à Assembleia Legislativa. Os auxiliares do governo afirmaram ter recebido ordens para não falar a respeito das propostas.
O pedido do governador tem a ver com a decisão de evitar especulações e pressões e de anunciar ele próprio a reforma antes da viagem.

Nos bastidores, as informações apontam para redução de atribuições da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), que havia ganhado maior peso na reforma administrativa de 2011. Já a Secretaria de Indústria e Comércio (SIC) deve se fortalecer, aglutinando novas funções.
O governador já disse que a reforma terá como objetivo enxugar a máquina e que pretende reduzir os cargos da chamada estrutura básica – cargos de chefia. A previsão é que haja o corte de superintendências. Algumas pastas no governo hoje têm de 10 a 12 superintendentes.

A aliados, Marconi tem dito que quer uma reforma profunda, mas há quem aposte em mudanças não tão radicais.
A tesoura também deve atingir mais cargos comissionados. Lei aprovada no final do ano passado determinou a extinção de 3,3 mil cargos até o final de 2014. Restam ainda mais de dois terços da quantidade estabelecida pela lei. Nos bastidores a informação é que podem ser extintos ainda mais 1,7 mil vagas, totalizando 5 mil. No ano passado, Goiás liderou ranking de Estados com maior número de comissionados e contratos temporários do País, segundo levantamento do IBGE.

Marconi deve voltar da viagem a Europa no dia 24 de novembro. A expectativa é de que o projeto de lei seja enviado à Assembleia ainda esta semana e que, até o retorno do governador, já tenha sido aprovado. Depois disso, o tucano deve intensificar as conversas para a definição do novo quadro de auxiliares.
Participaram ontem da reunião com o governador os secretários da Casa Civil, José Carlos Siqueira; da Fazenda, José Taveira; e de Gestão e Planejamento, Leonardo Vilela; e o controlador-geral do Estado, Adauto Barbosa Júnior. A pauta não foi apenas a reforma administrativa, mas também o encerramento do exercício financeiro.

Fonte: O Popular

 

 

   
 
Site desenvolvido por:
Rua 77 nº 145 CEP 74.055-090 Setor Central Goiânia - GO | Fone (62) 3212 5038 E-Mail - acs@acspmbmgo.com.br