Vídeo da PM mostra o ser humano por trás da farda

 

 

O novo vídeo institucional da Polícia Militar de Goiás agradou muito ao Presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia e do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás, Sargento Gilberto Cândido de Lima, para ele foi uma grata surpresa ver institucionalizado o ponto de vista que sempre defendeu:

“Eu sempre busquei uma maneira de mostrar a sociedade que dentro de cada farda existe um ser humano, que é pai, avô, amigo, vizinho… alguém que defende, contribui, mas antes de tudo é parte da comunidade.” Revela o Sargento Gilberto.

Durante os Programas de TV apresentados por ele nos últimos de 14 anos essa tese sempre fez parte de suas defesas calorosas, estar na bancada do  Programa Ronda Policial e poder dizer com todas as letras que polícia também é gente e lutar para que esta afirmação ecoe aos quatro cantos é sua missão de todo sábado de manhã.

Por isso ao ver o vídeo ser exibido aos novos alunos soldados no seu primeiro dia de aula, em salas climatizadas, com todo respeito dos comandantes e com os aplausos da sociedade, a satisfação tomou conta e a emoção não pode ser contida: “Depois de tantas lutas por reconhecimento, por garantias, por tratamento justo e humano, enfim a Corporação e a sociedade começam a dar mostras de que entendem que somos mais que um distintivo e uma farda”, afirma ele.

Como Presidente da Associação que representa a maior parcela de Militares do Estado de Goiás, quer saudar e agradecer o trabalho realizado pelo Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Divino Alves de Oliveira, sua Assessoria de Comunicação Social e todos os envolvidos na confecção do Vídeo em tela.

Por terem conseguido transformar em imagem todas as emoção que milhares de homens e mulheres carregam nos corações, todos os dias, escondidas sob o tecido caqui, cinza, branco, preto ou camuflado. E por mais que pareçam super-heróis ou que sejam tratados como vilões, os Policiais Militares são humanos e merecem ter salvaguardado seus direitos e garantias enquanto tal.

 

 

Deixe um comentário